quinta-feira, 23 de agosto de 2018

Diligência diária: viver para as pequenas coisas boas da vida


Ilustração de Amanda Cass

Houve alguém que uma vez me disse: devias viver para as pequenas coisas verdadeiramente boas da vida.

Como o quê?, perguntei.

Como dançar na chuva (já alguma vez o fizeste?) e rir até chorar, como as canções preferidas e os bons livros, como sorrir sem razão, ter longas conversas, comer bolos de chocolate,descansar depois de dias extenuantes e notar o brilho nos olhos de alguém.

Como viver aventuras noturnas e abençoar as estrelas que te guiam até casa.

Como estimar as pessoas que se lembram de que gostas do chá sem açúcar e que odeias cebola.

Como desfrutar de grandes passeios, acolher abraços verdadeiros, conhecer pessoas novas, apreciar presentes inesperados e os há muito tempo ansiados «sim».

Identifica-as e vive para todas as pequenas coisas que te fazem sentir viva.


traduzido e adaptado de Zali Zelveger
in http://brightside.me/article/this-heartfelt-and-beautiful-poem-is-guaranteed-to-lift-your-spirits-97455/

1 comentário:

  1. Sim! Viver o presente e as pequenas maravilhas diárias. De vez em quando, mudar o foco e olhar para longe, para planear o futuro. Mas, logo depois, retornar, para não estarmos sempre no amanhã, nos esquecendo do dia de hoje...
    Beijos!

    ResponderEliminar